Imagem

VIEMOS DE CIMA PRA BAIXO. AGORA, VOLTEMOS PRA CIMA.

VIEMOS DE CIMA PRA BAIXO

AGORA, VOLTEMOS PRA CIMA

 

Hoje, todos que passamos a nos conhecer, não nos cansamos de dizer isto: É hora de todos estudarem a Cultura Racional para que cada qual possa desmaterializar a Energia Racional que todos a têm materializada na Glândula pineal.

O Mundo Racional é a Raiz Mestra da Fecundação de todo esse Universo e sua Criação. Tudo é de origem Racional. Chegou agora o tempo de a Humanidade saber como saiu fora do seu estado natural e como voltar para ele.

 

Fazemos esta descoberta, lendo os livros de Cultura Racional. É no Ler e reler esses Livros. É assim que passamos, a ter esse saber sobre: quem somos, de onde viemos e para onde vamos. Como viemos e como vamos. E, porque viemos e porque vamos.

 

A nossa vinda de lá de cima pra cá, foi Racional e a nossa ida de volta cá de baixo lá pra cima, pra de onde viemos, tem que ser Racional.

 

A nossa vinda não foi uma vinda qualquer; foi Racional. Viemos do Mundo Racional. Agora, vamos voltar pra de onde viemos.

 

E a nossa ida não está submetida a ser qualquer uma; ela tem que ser de volta para o nosso verdadeiro Mundo de origem o Mundo Racional. E vamos pro Mundo Racional por quê? É de lá que somos.

 

 

Tivemos origem no Mundo Racional e, lá em cima, a originalidade de cada qual de nós, foi um corpo luminoso de energia de vida eterna que, foi feito pelo Verdadeiro Deus — o Racional Superior — que nos fez de massa cósmica corpórea pura, limpa e perfeita; de Energia Racional pura, limpa e perfeita. Cada qual de nós, um Corpo de Energia de Vida Eterna.

 

Deus foi também, QUEM nos concedeu o Livre Arbítrio como uma Razão Superior, irrestrita. Não há qualquer restrição da liberdade lá em nosso verdadeiro Mundo de origem; o Mundo dos eternos, puros, limpos, sem defeitos.

 

No Mundo Racional não tem matéria; só tem Energias puras, limpas e perfeitas com a sua força vital de vida em desenvolvimento; não tem sofrimento e nem morte; não tem Seres Pensantes e sim, Seres Raciocinantes; e todos eles em progresso de pureza.

 

Lá, não tem barulhos, não tem magnetismo, não tem gravidade magnética e os corpos, lá, eles são constituídos de outra condensação, feita por Energias puras, limpas e perfeitas, mediante outra categoria de combustão, diferente da elétrica e magnética. Não é preciso que fiquemos especulando sobre mais nada disto, basta que desenvolvamos três potencialidades humanas latentes das mais importantes: o raciocínio, a vidência Racional e o Aparelho Humano Racional; havendo ainda mais uma 4a. parte que é a desmaterialização da Energia Racional envolvida no istmo do mesencéfalo – na Glândula pineal; para nossa volta para o Mundo Racional.

 

A pureza é uma substância da vida de lá. Lá, não há gênero sexual. Lá, não existe noite e dia e nem há intempéries; é um Mundo de total estabilidade e de equilíbrio termodinâmico. Racional é um Ser só. Lá não tem bichos.

 

 

 

E nós somos Racionais decaídos em matéria, dentro desta caverna ou caveira que é a cabeça humana; uma espécie de relógio com seus sete sintonizadores (ou ponteiros sensoriais) que, é onde estamos situados, cada qual de nós, no istmo do mesencéfalo de um corpo deste; a alma Racional sediada nesta formação provisória de animal e que nós julgávamos se tratar do nosso verdadeiro corpo.

 

Não é ele; e sim, nele, o corpo pineal sempre foi o nosso (desconhecido) corpo Racional de pergaminho deformado.

 

O nosso corpo é uma psicomáquina inerte, sediada na Glândula Pineal que é a forma da máquina do raciocínio; forma esta, de como estamos materializados nesta deformação Racional em transformações.     

 

A nossa deformação está resumida em sete galácticas partículas flúidas que, dão formação a um só vibratório corpo fluídico elétrico e magnético; donde, o Corpo de Energia Racional assim deformado – agindo como a espiral criadora essencial da população microvivente Racional seminal – transmite a cada micro-operário desses, a causa imediata do seu desenvolvimento para prosseguirem demandando como sementes deformadoras e criadoras que, vão se materializando e, tomando essa forma de massa cosmológica material – a máquina do raciocínio. Todo Ser Humano tem essa Energia dentro da cabeça.

 

Esse corpo pineal é gerado onde está organicamente ligada – essa psicomáquina da mecânica Racional – noutro corpo (o corpo elétrico e magnético) para o qual a micro massa hidrogomosa – o sêmen – produziu a fagulha ígnea que, resultou na combustão formal do corpo elétrico e magnético.

 

Papai e mamãe, ou seja, a matéria, que ninguém se iluda de pensarem julgá-la tratar-se da nossa verdadeira origem. Esses importantíssimos Aparelhos Humanos de Reprodução são nossos irmãos de mesma origem Divina; mas, a confecção do corpo humano teve sempre como causa principal, o fator Energia.

 

E, foi por nós não conhecermos a origem,  já depois de já prostrados num estado de coma consciencial; que, então ficamos julgando e pensando ser filhos da matéria; até que nos tornamos inveterados materialistas.

 

Em nossa evolução antropológica das Fases de Animal, nós nunca conhecemos a Energia que foi e, segue sendo, o pólo fabril dos micróbios e vírus seminais, para a formação do corpo humano. A matéria, papai e mamãe, foi mera ferramenta coadjuvante para a formação desse todo que, de cada pessoa, se vê; e que é a formação desse tudo aparente ostentando o efeito simbólico de nossa deformação Racional em transformações e mudanças sucessivas.

 

Sendo que, o corpo elétrico e magnético cumpre a sua função de um motor gerado e formado por este Galáctico Campo elétrico e magnético que é uma Heptarquia Arquidoférica. Sim, esses Sete Reinos deste Hemisfério Universal Inferior, eles sete são os causadores de nós sermos assim: um só corpo de sete partículas.

 

Mas, não é porque ficamos deformados que íamos perder, de vez, o contato com a nossa verdadeira Base de Origem – o MUNDO RACIONAL.

 

E agora você pergunta: –

– “Qual foi a cronologia hierárquica da descida, e toda a trajetória que tivemos que passar, até que chegássemos à evolução da vida da matéria? “.

 

Respondendo a você:

Esta vida é o testemunho de outra vida que, a esta vida, deu conseqüência.

 

A causa desta Deformação Racional – o Mundo Racional. Naquele Éden Racional havia uma parte que era uma Planície Racional que não estava pronta para entrar em progresso.

 

Adentramos por aquele pedaço puro, limpo e perfeito; mas, ainda subdesenvolvido. E, foi fazendo uso da vontade, por a vontade ser livre que, começamos a progredir nele por conta própria.

 

Foi o princípio de ser, quando foram dados nossos primeiros passos; porque, nós não conhecíamos o mal e, para nós, naquela altura, o mal não existia. Não existia nenhum desses dois gêneros de corpos de matéria: nem o masculino e nem o feminino.

 

Pensávamos que íamos muito bem; mas aquele pedaço da mesma Planície começou a se deformar, a degenerar-se e também, os nossos corpos Racionais  que eram puros, limpos e perfeitos.

 

Viemos descendo, por o pedaço propagar – sobre os nossos corpos  – os seus efeitos da deformação que sofria; e então, viemos perdendo as virtudes, as Essências de nossa Energia corpórea. E com o decorrer dos tempos viemos nos extinguindo até a extinção total.

 

A extinção se completou em cima da Planície que a massa amoleceu e ficou gomosa; já outros tantos se extinguiram em cima da parte dela que ficou resinosa.

 

Houve a formação de outros corpos para a continuação da vida; mas em gêneros de corpos diferentes: o masculino – oriundo dos que se extinguiram em cima da massa da Planície gomosa; e o feminino – oriundo dos que se extinguiram em cima da resina transformada em cinzas. Ali, foi que ficamos conhecendo o mal.

 

Dali, a nossa espécie começou a nascer do chão, surdos, mudos e cegos; andando de gatinhas e depois curvados. Foi o princípio da deformação.

 

Naquele primitivo princípio, os corpos nascidos do chão eram da Fase de monstros: monstrengos, monstrinhos, monstros, monstrondontes e depois monstrões. Cada Fase – daquela era – parecia ser para sempre; cada qual das sete Fases de monstros era, bem dizer, uma Eternidade.

 

Todos aqueles nossos ancestrais já eram de natureza humana; porém de uma constituição diferente desta nossa, das gerações de agora.

 

A alimentação era feita pela própria Natureza e os entendimentos se faziam através de guinchos e urros.

 

Com o tempo foi que, começaram a ficar em pé e, a andar em pé. E só depois disso, foi que começaram com os acenos buscando se entender por aquele seu gestual; para – só depois- começar a soltar a voz. Então, iniciou-se, muito vagamente, um modo de entendimento.

 

A espécie humana veio se desenvolvendo, se transformando até marcar as coisas e atinar para a melhoria dos entendimentos. Surgiram as selvas e os recursos florestais surgindo uma transição de corpos monstróides descomunais para os corpos de selvagens primitivos.

 

Com a evolução de transformações e mudanças se transformaram em selvagens mais adiantados, evoluindo a gagueira e soltando a voz, com a língua ainda presa. Ali houve um tempo no qual a Divina Providência providenciou entre os povos Árabes, o desenvolvimento da leitura nas mãos de todos, a leitura  pelos sábios do Alfabeto de Astrologia que comportava a vida dentro dos limites. Estava tudo certo, tudo dava certo.

 

A Natureza passando sempre por profundas modificações e a humanidade se modificando para a condição do princípio desta civilização, surgindo as trocas, a valorização da matéria; depois do abandono da Astrologia.

 

Depois vieram as invenções, vieram as descobertas e o invento das letras e da formação de palavras para nomear objetos e as demais coisas; e a invenção de algarismos e de números e glifos apurando os símbolos; evoluindo tudo para o que aqui está. Foi assim, que chegamos ao princípio desta civilização funcionalmente alfabetizada artificialmente.

 

 

E então, a Fase do Pensamento terminou; e a Fase do Pensamento foi a mesma Fase de Animal Racional da civilização cultural Artificial. F oi uma muito longa evolução de transformações e mudanças sucessivas mediante a animalização dos povos em lapidação, até findar-se a evolução da matéria que tem que ir para o seu lugar. E o corpo de Energia Racional que é a vida verdadeira, nesta Fase Racional ele tem que subir de volta para de onde veio: o Mundo Racional.

 

A Natureza mudou de Fase e o comportamento ficou radicalmente mudado. Ela já faz oito décadas que parou de alimentar o pensamento dos pensadores que, aí estão jazendo em inanição energética sem solução.

 

  

       Não há mais tempo a perder. É preciso iniciar a leitura constante dos Livros de Cultura Racional. A sua iniciativa é insubstituível para o bem de todos, no Mundo todo; que é para reverter esses maus tratos avassaladorres da Mãe Natureza, revoltada contra essa vida pior que a de bichos, de seus filhos.

 

Tenhamos todos: saúde, paz e concórdia pelo desenvolvimento do raciocínio.

Anúncios