A GENETRIZ DA VIDA

A SUPOSTA ORIGEM E  A VERDADEIRA ORIGEM

A nossa suposta origem é dessa parte deformada degenerada e poluída – o chão: somos gerados, feitos e formados pelo micro gameta tendo por invólucro outro gameta, compondo-se um óvulo seminal no formato de um pingo dágua: o sêmen.                                                     

A GENETRIZ DA VIDA

Iniciemos esta longa conversa em atenção a uma pessoa, talvez seja a sua.

I – Parte Inicial desta conversa:

Falemos um bocado, da genetriz da vida; estaremos falando daquela que gera, a mãe que nos dá o Ser que somos. Conversemos sobre isto; estarei expondo e você, conjecturando.

A forma do corpo magnético – essa formação corpórea humana com aparência de tudo ser – finalmente, hoje, já definitivamente esclarecida pelos Livros de Cultura Racional, intitulados: “Universo em Desencanto”.

Aprendemos de sua leitura, que a matéria é a potência máxima do magnetismo e, o magnetismo envolve e domina todos que dependem da matéria para viver.

A razão verdadeira de ser – todo corpo humano – um conjunto de ruínas reunidas é porque, na realidade positiva de ser, cada corpo de imagem humana é somente uma aparência de tudo ser, surgida de uma semente magnética que, é o sêmen; o produtor de cada “tudo aparente” desses.

Foi o sêmen que – dimanado pelos Fluidos dos Seres Orgânicos de toda esta Galáctica Natureza – produziu a centelha magnética que deu forma ao corpo humano, mediante esses dois gêneros de combustão: elétrica, a combustão masculina; e magnética, a combustão feminina.

E, toda centelha vivente assim como essa, é vida que se apaga, de repente; inda mais, por a  seqüência da vida não ter tido condições de ser iluminada pelos entendimentos de uma natureza cultural consciente e positiva, como devia ser.

Seqüência esta que, é o seu manual de instruções que define como se desenvolve e como funciona um Ser Vivo.

O magnetismo na verdade, ele nada é; é uma fagulha, é centelha, não é vida; é aparência de vida, isto sim. Posto que, a matéria não é a nossa verdadeira origem.

Mas, por estar ainda inculta do real da realidade de si mesma, a humanidade – fugindo à razão do feito – ela veio relegando o fator de produção do produto vivente; e formou a vida nessas condições, de que não devia ser formada; já que, mal conscientizada ficou, do princípio do seu próprio Ser.

Ah! Então, teve um princípio?  Teve sim.

Mas, provido de uma sabedoria artificial, foge-se à regência da Natureza; desconhecem-se os movimentos naturais da Natureza regente de seus feitos; que são suas confecções. E, artificialmente (ou animalmente) cultos; então, nunca que emerge o Poder da Vida. Por a verdadeira vida não ser esta, de matéria; é que, o verdadeiro saber também não é este acumulado pelas mentes de matéria, neste nosso Mundo de Mentiras que é este Mundo de Matéria.

E, por não ter o verdadeiro esclarecimento de o que é o nada ser; ficou tendo por base o feito, o “tu”, o produto já feito como a sombra daquilo que foi e que era; com forma e vida aparente magnética; embora de compostura elétrica; mas, de obscura evolução magnética. Então daí, o “eu” ficou indefinido porquanto, um desconhecido; neste campo de vida fluídica.

II – Segunda Parte desta longa conversa:

Temos que, o que fluidicamente é feito pela Natureza, fluidicamente se destrói, é destruído pela mesma Natureza; provando e comprovando a nulidade de todo Ser que, assim é: um magnetismo de aparência magnética; pois, a utilidade da matéria foi só para satisfazer a necessidade que, o animal de origem Racional tem, de ser lapidado.

O desenvolvimento do magnetismo se faz pelo desenvolvimento da mecânica material em si mesmo; pelo individualismo, pelo materialismo. Papai e mamãe, são usados como ferramentas da Natureza – esses dois aparelhos de nossa reprodução como seus filhos-irmãos – apenas para ser dado o efeito simbólico da deformação, fixado nesse tudo aparente de imagem humana.

Daí, a duração efêmera de cada formação magnética dessas que, somente parece ser o que não é. Como agora parece que, estamos no fim dos tempos e, não estamos; pois, se trata tão somente de uma mudança de Fase, ou do Fator Natural da vida que chegou no fim dela ser assim.

Amadureceu e, tudo que nada é; depois do amadurecimento, dá-se o apodrecimento e a liquidação da constituição que, era tida e havida como se tudo fosse.

No findar-se, dá provas de que não era; como aí está pelo Mundo todo, fulgurando esse desequilíbrio: físico, moral e financeiro.

Pois, com o foco concentrado na matéria todos vieram ficando dominados numa longo trajetória, no mundo todo, pelo magnetismo da matéria que, por ter forte dose magnética, ela botou a todos desequilibrados e mutuamente magnetizando-se uns aos outros.

E, numa vida de sofredores e mortais sem solução; por todo Ser Pensante julgar e pensar a vida como sendo essa mesma: de sofredores e mortais. Pensando a vida, diferente do que a vida pede que, seja pensada.

A Fase de Bicho Racional, a Fase de Selvagens, a Fase de Monstros é que foram assim. Todas aquelas Fases antropológicas mais primevas, tiveram princípio e já tiveram seu fim. Mas, deixaram resquícios neste nosso assim ser.

De forma que a matéria, nada mais é do que uma ilusão aparentando tudo ser, aparentando ser o que não é; de fato é uma mentira; e, por assim ser, acaba em nada; pois, revém ao nada que, neste caso, é esta categoria de princípio seminal a que a Cultura Racional denomina: bicho Racional.

E que se divide em duas classes: o princípio seminal do animal Racional (a classe que tem o raciocínio organicamente ligado à matéria) e a classe inferior que, é o animal irracional (sem o raciocínio).

O animal Racional é, em verdade, o Ser Racional, Habitante do Mundo Racional que, de lá saiu progredindo por conta (e risco) próprio; e, tomou esta forma deformada de animal de Raça Racional.

Enquanto que o animal irracional é uma decorrência da evolução desta Natureza em estado de uma Mega Deformação em Transformações. Nada se perde, nada se cria, tudo se transforma.

O sêmen dá a atividade para que sejam formados esses dois gêneros de combustão: magnético e elétrico. E dessa combustão, uma reação desencadeia-se, formando-se uma  “micro – explosão”; que, é de onde sai a centelha, a fagulha de fraquíssimo lume; e que dá forma ao corpo humano.   Corpo este que, para morrer, não tem idade.

Tão mal constituído,  quanto mal conscientizado a respeito de si mesmo e, de tudo que circula a vida; ficou sendo uma vida que não se pode assegurar de qualquer garantia; por viver em um curto mental, dada a nossa ligação a esta Base do Ser Irracional que, se trata do Campo de Vida elétrico e magnético; onde a voltagem é irregular e a instabilidade é constante.

Talvez, você já tenha dado se dado conta de que, no âmbito desta longa conversa, estamos fazendo uma incursão, alternadamente, por dois Planos: num deles, gravitamos pela Seara da Existência e, no outro, pela Seara do Conhecimento.  E, a partir da conjugação de ambos, nos incursionamos pela senda ou Seara da Consciência dos Povos.

Aliás, onde está essa consciência dos povos; por onde ela tem andado hein!?

III – Terceira Parte desta nossa longa conversa:

Sob o respaldo do Conhecimento expressado no universo de discurso da Cultura Racional, vínhamos falando até aqui, de que na medida em que o sêmen vai se transformando, vai tomando forma então, um Ser que, nunca teve o tirocínio verdadeiro do Ser que si mesmo é; pois, se o tivesse, teria projetado a forma de ser na realidade de ser. Realidade esta inconsciente e negativa.

E por não tê-lo feito, foi que criamos uma idéia de sermos aquilo que não podíamos ser. Pois, cegos pelo magnetismo, nunca pudemos descortinar (nesta semente magnética) a verdadeira forma de ser do que, nada é. Então bordamos um nominalismo que adjetivou a matéria como algo de uma real grandeza nela inexistente.

Daí, nunca se pôde atinar para o fato de que, essa centelha é fagulha seminal que tem lúmen de duração passageira; e que, não é vida. Posto que, vida é vida eterna. E que, se centelha vida fosse; para sempre vida seria. Sempre eterna seria. E, o seu lume, vigente para sempre, se manteria.

E, sem mais e nem por que; de repente, ele não se apagaria.            Cada centelha, uma fagulha de duração variante que, se desenvolve nascida do nada e que se desenvolve envaidecida pelas aparências de que, a matéria tenha grande valor que, no real da realidade, não tem.

Mas, dá-se o domínio do magnetismo pelas fortes doses magnéticas desequilibradas que despertam a cobiça, o ciúme, a vaidade e a paixão, os crimes feitos por doses magnéticas violentas, pelo magnetismo espiritual, pelos engambelos artificiais e naturais. Basta ser magnetismo, para não ter equilíbrio.

Então, em cada Ser que assim é artificialmente foi colocada uma Personalidade de vida. Fruto de uma formação cultural toda artificial, materialista em que foi posta ao abandono e hoje jaz no quase absoluto esquecimento 80 mil séculos da cultura astrológica que, num passado demais longínquo, regeu a vida na Terra.

E daquele abandono, a valorização da matéria que, sua vida vivente morrente é uma ilusão que, do nada (da essência do magnetismo) é de onde essa vida moribunda provém; e que, ao nada, é para onde ela revém.

E nisso de a humanidade ter adotado como válida, a palavra “morte” significando “vida encerrada”, definitivamente, então, foi dado cunho de realidade real ao Ser aparente.                            

Daí, ouvir-se falar, freqüentemente: — “A minha vida é assim.”; e — “A minha vida é assado.”.

Donde surge a ilusão de cada qual pensar ser o que, não é; tudo isto, é porque, foram incentivadas infinidades de ilusões nos Seres que, auto sugestionados, valorizam a matéria que é um Ser que, se desdobra em sua própria destruição.

Mas, a matéria é tida como se ela tudo fosse. Querendo dar cunho de autenticidade e valor de gabarito ao que se destrói; e que, pela transformação dos corpos, toma a forma de outras vidas em classes inferiores.

E o avanço do desenvolvimento do artifício foi tão grande que, depois de uma infinidade de pesquisas e de experiências, houve o futricar de palavreados para atribuir formas nas coisas; e então, surgiu como que inevitável, o “Planteclismo”.

Trata-se da Planta da formação do Ser Humano estar sendo esmiuçada por quem, de fato, não a conhece. E artificialmente não a conhece mesmo por, faltar-nos uma Cultura Racional. O que é Racional é o verdadeiro natural e o que é natural, de verdade é; pois vibra com a própria Natureza.

IV – Quarta Parte desta nossa longa conversa:

Que, se não fosse agora ter chegado a Fase Racional, todos continuaríamos na categoria de classes em transformações, nos transformando para outras classes ainda mais inferiores; da mesma categoria de princípio seminal; inconsciente e negativa.

Posto que, pelas transformações que fizemos, perdemos toda a noção da origem e de todo o passado em outras vidas anteriores, em classes superiores, diferentes desta em que tomamos essa forma de animal.

Este contínuo presente, ele já é, da vida, o 3º Ciclo caminhando a passos largos para a nossa extinção.

O 1º Ciclo, aquilo que fomos, foi o nosso pretérito perfeito (Racional puro, limpo e perfeito).

E, o 2º Ciclo, aquilo que éramos, foi o nosso pretérito imperfeito (Racionais em transformação, caminhando para a extinção do corpo de vida anterior a este).  O que, por fim, se consumou e ficamos sendo isto que somos: animais Racionais, livres pensadores, sofredores e mortais.

E, a causa de a humanidade viver de pesquisas e de experiências a vida inteira, sempre na dúvida de tudo, é a incessante procura para encontrar a verdadeira Individualidade perdida. Sem a bússola Racional, não encontrávamos; é impossível.

Hoje, é que estamos tendo o Conhecimento de que a Cultura do desenvolvimento do raciocínio é o maior expoente da vida; porque, através dela toda a humanidade está sendo preparada para voltar para a vida eterna.

Todos de volta para sermos, no futuro, aquilo que já fomos em nosso 1º Ciclo da Vida. Depois que a humanidade tiver consolidado pela lógica de consistência básica em seu saber, este Conhecimento Racional de quem somos, de onde viemos e para onde vamos – agora sendo solidificado em Bases sólidas – então aí sim, atingiremos a nossa Meta Final: a transformação desta Galáctica Deformação para o seu estado de ser natural; que é Racional puro, limpo e perfeito.

Começa pelo entendimento de qual que é o julgamento perfeito e correto de tudo que existe. Que é: conhecer o antes de ser completo. Isto se faz através da leitura e releitura dos Livros de Cultura Racional.

Trata-se do sistema mais correto de concluir e conduzir o certo; que, é saber provar e comprovar o certo; o certo do que, é Racional. O nosso Ser Real.

Posto que, encontrou a origem, encontrou o certo.

Pelo seguinte: no encontrar a origem, é encontrada a Base. Encontrou a Base Verdadeira, encontra a lógica. Tendo encontrado a lógica dotada da consistência da Base Verdadeira, encontra o certo.

E passa a ter o Conhecimento da causa e da origem da vida; porque, é chegado – agora sim – o verdadeiro Dia do Juízo.

V – Quinta Parte desta nossa longa conversa:

O Conhecimento do Ser está no raciocínio; que é – da pessoa – a sua verdadeira originalidade de ser; e é portanto, o seu Juízo Final. A solução da vida, definida e definitivamente, aí está ela, no saber verdadeiro.

A Planta do Mundo, a Planta do corpo e a Planta da vida; a pessoa, de posse dela, endireita tudo que se põe a executar e, daí: a solução perfeita para que, todos vivam bem e certo. E daí, toma realçado fulgor o Poder da Vida.

A Individualidade é a causa desta vida; ela é de Racionais puros, limpos e perfeitos.  A causa de termos o raciocínio é o Mundo Racional; que, é a mesma causa de a pessoa ser Racional. Racional: a Raiz Mestra do raciocínio. Raciocínio: a Raiz Mestra é Racional.

A Origem é a causa deste Mundo e de tudo que nele existe; por não haver efeito sem causa. O certo é nortear-se pela Bússola do Mundo, do corpo e da vida; lendo e relendo o Livro Universo em Desencanto de Cultura Racional para saber o certo; a fim de tudo dar certo.

Aí então, já está fazendo por onde possuir a Genetriz da vida. A Genetriz é a matriz da gênese do Universo e das vidas do Universo. A Raiz Mestra da Fecundação de todo esse Universo e sua criação.

Não pode ser uma coisa de repente. Numa analogia simplória, é a mesma coisa que uma planta vegetal: ela nasceu e veio crescendo, crescendo prossegue, até findar o seu crescimento normal, tão naturalmente que, nem dá pra perceber;  quando então, dá as sementes, dá as flores e dá os frutos.

Primeiramente, os frutos verdes, depois os frutos de vez e por fim, os frutos maduros, já prontos para servir.

            Contudo, logo no começar a leitura do Livro Universo em Desencanto, o raciocínio inicia a se desenvolver e a proporcionar a aquisição do bom senso pela evolução do amadurecimento.

Mas, é preciso ler e reler com persistência para a obtenção do Conhecimento Racional e para começar logo o desenvolvimento geral do Aparelho Humano, Racionalmente. O crescente desenvolvimento do raciocínio proporciona o verdadeiro equilíbrio Racional da pessoa, em seu próprio benefício. Para ver que, o próprio Livro funciona como um manual de instruções.

A persistência e a constância são para não perder a ligação da Energia Racional no Aparelho Humano; consolidando-se assim, o raciocínio em seu desenvolvimento que, é o ponto vital da vida eterna.

É preciso persistência; para ser válido esse desenvolvimento e, a pessoa  ser ligada ao Mundo Racional e, poder ir sendo orientada pelos Habitantes do Mundo Racional e, ir nascendo, em si mesma, a Vidência de Energia Racional – vendo tudo quanto é de Racional.

Sendo que, a Planta e o Mapa – de toda a formação Universal, está lá na Origem. A Planta e o Mapa perfeito da salvação da Humanidade. Todos hoje sabendo que, a verdadeira originalidade da vida teve origem Racional. A origem de todos é Racional. Racional é a razão da vida do animal Racional.

O Mundo Racional é a causa e a razão do raciocínio. E depois do raciocínio desenvolvido, evolui pelo seu desenvolvimento e se liga à sua verdadeira origem que, é o Mundo Racional.

VI – Última Parte desta nossa longa conversa:

Estamos aqui, tendo por base nesta conversa, os Livros: “Universo em Desencanto”, de Cultura Racional. Neles, o Conhecimento Transcendental para a volta de todos e a volta de tudo ao nosso verdadeiro Mundo de Origem, o Mundo Racional.

Deu-se que, antes da origem da matéria, quando nós éramos: Racionais puros, limpos e perfeitos, nós entramos numa parte do Éden Racional; e, essa parte não estava pronta para entrar em progresso.

Viemos progredindo por conta própria, até que nos extinguimos e perdemos formação da vida de Racional; advindo dali, essa formação microbiana; da qual, nós próprios é que fomos os causadores desse Encanto; causadores da existência de tudo isto que, neste Mundo existe.

Existindo feitos; é porque existe a causa desses feitos; porque, não existe efeito sem causa.  E, não existe causa sem origem. Existindo a origem, é porque existe a Base. A Base verdadeira é o Primeiro Mundo. Que é a Base da origem da causa de todos os feitos.

Agora é que estamos sabendo e conhecendo como foi que viemos parar nessas condições de sermos feitos de matéria. Que não se trata da originalidade da vida de ninguém.

A pessoa conhecendo o que é Cultura Racional, ela ficará ligada ao Mundo Racional mediante este Conhecimento de preparação da Humanidade, para a sua ligação aos Habitantes do Mundo Racional, nossos irmãos de nosso verdadeiro Mundo de Origem. E daí, o progresso será Racional.

Fica o nosso convite para que você busque pelo Conhecimento de si mesmo, na leitura do Livro “Universo em Desencanto” de Cultura Racional.

Vamos completar todos juntos, essa trajetória para solucionar a vida no âmbito da existência e do Conhecimento positivo e consciente; para que tenhamos por fim justificada e consolidada a nossa Consciência Racional, pelo desenvolvimento do raciocínio, da Vidência Racional e por último, do Aparelho Humano Racional.

Nessa altura, já se fará valer o Poder da Vida Eterna pela Hegemonia da Vida que corresponde a cada vida no seu Mundo. A matéria neste seu Mundo que é o nosso Segundo Mundo. E o Corpo de Energia de Vida Eterna, de volta para o Primeiro Mundo, de onde saiu por conta própria, fazendo uso da vontade, por não haver restrição da liberdade no Mundo Racional.

Grato por acompanhar esta conversa com suas conjecturas focadas no que é de sério. E então, vamos nos Conhecer nos livros de Cultura Racional? Decida-se.

Tenhamos todos, saúde, paz e concórdia, pelo desenvolvimento do raciocínio.

Anúncios
Imagem

O RACIOCÍNIO SABE TUDO SOBRE VOCÊ, É SÓ DESENVOLVER O RACIOCÍNIO.

 

O RACIOCÍNIO SABE TUDO SOBRE VOCÊ.

E você encontrando o raciocínio, encontrou-se consigo mesmo

A Cultura Racional, a cultura do raciocínio, a Imunização Racional, são os ensinamentos do princípio e do fim do Mundo para serem transmitidos à humanidade; a fim de que o Ser Humano saiba de onde ele vem, para onde ele vai e como vai.

 

É para ler sabendo o que leu e discernindo o teor da leitura com a persistência diária, até ficar possuidor do verdadeiro saber que, quando se espalhar pelo Mundo, será bem dizer, de uma hora para outra; porque é de interesse universal.

 

A solução lógica da vida está no raciocínio que, é o ponto básico da vida eterna. A solução lógica da vida é Racionalmente comunicada do Mundo Racional para o Racional que tomou forma de Animal e que, por isto, ficou classificado como animal de origem ou Raça Racional. É preciso ler atentamente e saber transmitir aos demais, em benefício de todos.

 

Sendo o raciocínio, o ponto vital da vida. E o ponto vital da vida é a verdadeira origem. E a verdadeira origem é Racional. E o ponto Supremo da vida é Racional. O ponto vital da vida é Racional. Por tudo e por todos serem de origem Racional; então, é Racional o ponto de Supremacia da vida.

 

Foi o corpo raciocinante do Habitante do Mundo Racional, hoje materializado na glândula pineal, que se transformou em um corpo Racional deformado fluidicamente e que, se tornou a causa de existirem no sêmen humano, os vírus Racionais para a formação da máquina psicológica do raciocínio. E foi assim que o raciocínio ficou organicamente ligado a esta deformação Racional em transformações. E ao longo dos tempos veio recebendo inúmeras denominações, dentre elas: epífise, corpo pineal, e neste Terceiro Milênio, veio o Conhecimento de Cultura Racional nos dizer tratar-se, essa gandula da vida, da máquina do raciocínio que é a base biológica de nossas funções psicológicas da mecânica Racional.

 

 

O corpo Racional deformado é o corpo fluídico que deu causa e origem a esse corpo que está feito em matéria fluídica elétrica e magnética. Na heptarquia orgânica (ou arquidoférica) que é esta Galáctica Natureza com as suas sete repartições, há uma partícula de cada extinto corpo vivente Racional de vida eterna, em cada parte ou repartição natural desta Natureza deformada em transformações. Cada corpo Racional desses, uma infinidade aqui existente, está deformado em estado plasmático, deformado em fogo, como uma espiral causadora dos vírus Racionais existentes no sêmen, para a formação da massa corpórea do corpo pineal organicamente ligado ã matéria do Animal Racional.

 

A deformação é feita pelo fogo; mas, essas virtudes podem sim, retornar ao seu estado natural, mesmo elas sendo as sementes causadoras da formação de todas as vidas existentes aqui neste Conjunto de vida fluídica. Conforme as pessoas vão se imunizando e vão morrendo, ninguém nascerá mais aqui outra vez, diminuindo assim a quantidade ou a intensidade de partículas fluídicas em deformação. E a pessoa vai ressurgir de volta no Mundo Racional em um corpo de Energia de vida eterna, junto aos demais que lá estão no Mundo Racional, o Mundo dos puros, limpos e perfeitos.

 

É de suma importância desenvolver o raciocínio por meio do Conhecimento cultural Racional, nos andamentos deste Terceiro Milênio, posto que, por meio do raciocínio a matéria do corpo pineal e, também da parte corpórea animal, se transforma na sua verdadeira origem. Daí, o Corpo de Energia Racional passa pela transformação da subida de volta para de onde veio, voltando a ser aquele mesmo corpo de Energia de Vida Eterna que deu causa a este outro, fluidicamente feito em estado de matéria elétrica e magnética.

 

Aí está porque a Imunização Racional se trata de um Ser Orgânico do nosso verdadeiro estado de ser natural. E agora, só o que falta é persistirmos em gravar em nossa personalidade fluídica que, é o nosso “eu”, todo o Conhecimento que vamos adquirindo por meio da constância de todos na leitura e, chegarmos dessa forma a um estado de convicção verdadeira consciente; que, é a convicção básica. Que, é alcançada mediante o teor esclarecedor peculiar dessa Obra que é Racional.

 

Há coisas que dependem de tempo. A Imunização Racional é uma coisa natural que, por ser natural, não pode ser alcançada de uma hora para outra. É como a árvore que, se planta e se espera crescer, robustecer e formar para reflorescer. Chegou o tempo de acabar com esse modo de vida de desequilibrados, como prova o sofrimento no Mundo; porquanto, a Imunização Racional é a tábua da salvação de todos. Nela, o Fluido Racional é que é o governo transcendental do Ser Humano, por ser o Fluido de nossa Verdadeira Base de Origem e que, a humanidade até aqui, não havia conhecido.

 

O raciocínio é a parte Racional da Glândula Pineal. É uma Energia que teve origem no Mundo Racional e que no Mundo dos eternos, puros, limpos e perfeitos sempre foi e continua sendo o condutor de todos em progresso de pureza, lá em cima no Supremo Mundo – o Éden Racional.

 

Aquele Galáctico Mundo é o Mundo que deu causa a esta degeneração e deformação Racional. A vida dos Mundos de lá que, são Planícies de Massa Cósmica produto de uma condensação de Energia Racional pura, limpa e perfeita, teve formação própria, natural, por ser Racional. O Mundo Racional é uma consistência própria da formação da vida Racional. É uma formação própria do seu estado natural de ser; posto que o Mundo Racional surgiu de uma combustão, de uma ignificação, de sua própria formação pura, limpa e perfeita.

 

Mas, uns tantos Racionais (uma infinidade, embora tratar-se de uma parcela menor daquele contingente populacional), pelo seu livre arbítrio, entraram por uma parte subdesenvolvida daquela Planície Racional onde viviam e, dado que essa outra parte estava ainda em preparação Racional, então, a sua formação não estava ainda pronta para entrar em progresso. Pois, ainda estava em formação Racional.

 

Os Seres Racionais que se depararam com essa parte, tiveram aguçada a sua vontade de ver qual seria o resultado de um progresso da mesma pureza; sendo realizado nela. Não conheciam o mal, não sabiam o que era sofrimento; eram sãos e sadios; então, o mal para eles não existia. Apenas queriam pôr aquela parte em uma apuração Racional.

 

Muitas vezes foram chamados à atenção pelo Racional Superior, mesmo vivendo na Planície onde a sua originalidade teve origem; assim como todos os demais que, até hoje, lá estão com o progresso deles de acordo com a formação Racional pura, limpa e perfeita de cada qual, e ainda que advertidos pelo verdadeiro Deus, não abriram mão de progredir nessa parte da Planície – por conta própria – que, não estava pronta para a função normal Racional, na qual o progresso é de pureza.

 

Não conhecendo o que era sofrimento, desconhecedores do que pudesse ser o mal que, para eles sequer existia, então foram se aprofundando nessa parte ainda em formação adentro; até que, numa dada região dessa mesma parte ainda inapropriada ao progresso, procuraram progredir por conta própria, principiando ali, a fazer com que viesse sendo traçada uma espiral cósmica; e, daquele translado de aventuras, fosse conseguida a existência deste nosso Galáctico Mundo. Aquele foi o princípio de ser este Mundo, um todo deformado; uma deformação que teve origem Racional.

 

E essa parte, então desprendeu da outra que está lá em cima no Mundo Racional. Naquele translado, durante os primeiros passos da origem desta que hoje é uma Galáctica deformação em transformações, enquanto a porção da Planície em que esses Racionais entraram, vinha descrevendo a sua espiral cósmica, vinha se deformando e, o mesmo se dava com os Racionais que, depois de muito afastados quiseram retroceder e não tendo podido; continuaram com o seu progresso em cima dela; mas daí, já perdendo virtudes.

 

As virtudes que os Racionais perdiam, vieram se acumulando, dando formação a um foco de luz fosca e, com o tempo aumentando, deu-se um curto; vindo a esquentar. Com mais tempo, conforme os Seres vinham perdendo o resto das virtudes que ainda tinham preservadas em sua formação, as mesmas se acumulavam no mesmo foco luminoso com impacto ressonante na Planície e nos corpos dos Racionais que, nela progrediam; contribuindo ainda mais para que se deformassem.

 

Sob o acúmulo de fóton transmissões, irradiadas do foco luminoso já em curto, a Planície veio esquentando, já deformada, tendo – a sua massa cósmica em transformações – originado a água com o tempo e, o resto dela que, dantes, era uma formação sólida de si mesma, veio virando uma Resina e, esta veio empolando, torrando, ficando queimada e carbonizada para depois então, virar montanhosas cinzas – a origem da terra. Não sendo toda por igual, naquela ocasião, e sim, em diversos lugares.

 

Aqueles corpos que já estavam por virem se deformando naquele seu segundo ciclo da vida, quando chegaram ao começo do terceiro degrau de deformação, já estavam no fim de sua extinção corpórea Racional; extinguindo-se todos eles; vindo assim a transformação dos mesmos para outros corpos: os corpos do 30 ciclo da vida deles e que – eles – somos nós só que agora, a caminho de uma extinção diferente passando de animal Racional para irracional.

 

E a causa da origem do raciocínio foi a permanência do extinto corpo de Energia Racional dentro desta Galáctica Deformação em transformações que teve origem Racional. Pois, na extinção de sua última virtude perdida teve origem o raciocínio que representa a pessoa. A Energia do raciocínio é a Energia Racional.

 

A causa do raciocínio, portanto, esse corpo de Energia Racional, representa a pessoa. Ele é a personalidade verdadeira do Encontro com a Individualidade Perdida. É o que vai nos salvar de mais outra descida de classe.

 

Quem protagoniza o papel principal desse Encontro maior é o raciocínio, um Habitante do Mundo Racional depois de desmaterializado da máquina do raciocínio existente no istmo do mesencéfalo deste deletério Ser que se constitui, diminui e desaparece. Este mesmo Ser que se trata de um Projeto que se constitui, diminui e desaparece; por ser de matéria ficou sendo assim: tendo princípio e tendo fim. E, portanto, o Ser que ficou sendo uma parte constituída de sete partes reunidas: cada Ser Racional que tomou forma de animal que já vem formado com o raciocínio. Para você ver, o grau de complexidade que você se constituiu prá si mesmo; por a vontade ser livre.

 

A deformação está nessas sete partículas das virtudes aprisionadas nos sete Reinos do Encanto que, é esta Galáxia do Pensamento – a Galáxia Térrea – nas Fases da Artificialização dos Povos.

 

De forma que, daqueles corpos anteriores a esses daqui deste epílogo do 30 ciclo da vida, houve os que – ainda naquele preâmbulo deste 3º Ciclo, se extinguiram em cima da massa da Planície que virou água; e, foi dali que surgiu o sexo masculino. E os corpos Racionais que se extinguiram em cima da Resina, deram origem aos micróbios do sexo feminino.

 

Os corpos que se extinguiram fluidicamente em cima da Resina que virou cinza; naquela sua extinção fluídica, já deformados em categoria superior a esta deformação material; e depois, entrando água naquela cinza sob a quentura do foco de luz, deu-se então, a formação dos micróbios, para a formação, criação, e geração dessa bicharada, que naquela época, começou a nascer do chão.

 

Mas, dos Racionais que vieram perdendo virtudes, uns tantos que não as perderam de todo, o seu corpo de Energia ficou acompanhando a deformação. Mas, aconteceu também que, cada corpo de Energia Racional desse, na sua extinção, causou o princípio e a origem dessa deformação de animal Racional A causa da origem nossa ter sido de Racional foi a extinção de uma classe ter vindo a se transformar em outra classe. Conforme vinham se transformando, vinham perdendo virtudes, aliás tudo vinha perdendo virtudes sem que sentissem, e dali vieram criando a deformação pelas transformações de onde foram gerados os Seres deformados.

 

A virtude desses, acumuladas no foco de luz ainda não deformado, veio emanando seus Fluidos sobre a goma e a resina. E aqueles seus fluidos se extinguindo, davam causa ao micróbio do animal Racional, na geração daqueles primitivos corpos que nasceram do chão. Eram corpos bem diferentes do corpo atual. A cada eternidade de sua trajetória, e mesmo parecendo que ia se resumir somente naquilo, vinham passando por uma infinidade de modificações. Eram monstros, passaram para selvagens com as transformações. E com mais transformações passaram para civilizados. E com as transformações produzindo mudanças continuadas, passaram agora para a classe de aparelho humano Racional na Fase do desenvolvimento do raciocínio. Tudo isto, por evolução natural da própria Natureza.

 

De forma que sabíamos sermos de matéria; mas, não conhecíamos profundamente a origem da matéria; nem como foi que nos originamos da matéria. Apenas sabíamos que somos produtos da água; mediante a qual nos transformamos em Seres. Uma família muito grande de micróbios, vírus e germens e muito variante em sua qualidade, criados e gerados pela própria água choca e envenenada, para a formação dos Seres. Posto que o óvulo seminal líquido tem o seu conteúdo. O seu conteúdo: micróbios gerados e feitos pela própria água, oriunda da transformação da Planície. Hoje, a Base principal de todos os Seres é a água; a base de todas as vidas, de todos os Seres materiais.

 

A água ficou sendo a formação deste Mundo e a terra é uma substância dependente da água. Matéria é água, sendo o micro gameta uma água condensada que se choca para se transformar em Seres. A terra é a horta, é o celeiro de produção e a água é a semente, é a fábrica de produção. A água é um conjunto de vírus e de micro vírus visíveis e invisíveis, quase igual a um conjunto de nuvens. E, nesse conjunto viral e micro viral estão todos os animais, todos os vegetais, tudo que existe em cima da terra e assim também no espaço contaminado de vírus e micro vírus. Na Cultura Racional ficamos sabendo muito mais sobre tudo isto. É preciso lê-la no seu todo.

Na primeira Fase da transformação, para o princípio desta Deformação, os corpos eram completamente diferentes. E ficou sendo este Mundo, uma consequência de seus próprios habitantes. E daí, logicamente, ninguém é culpado do sofrimento de ninguém.

 

No primeiro ciclo da vida que foi vivido no Mundo dos Eternos, no Mundo Racional, fomos Racionais, puros, limpos e perfeitos. No segundo ciclo da vida, éramos Racionais deformados em corpos ao ponto de nossa extinção; e depois foi que enveredamos por este Terceiro Ciclo da Vida. Mas, neste Terceiro Ciclo da Vida, as transformações que passamos foram sempre dentro da mesma classe de animal Racional; morrendo e nascendo, morrendo e nascendo. Mas, agora chegamos ao fim de nós sermos assim. A classe de animal de origem Racional está arriscada a perder o vínculo de Racional de que é portadora e que, lhe dá sustentação da índole de Racional porque, essa classe de animal Racional está a caminho de seu término de existência. E quem não desenvolver o raciocínio se transforma para o Mundo do irracional. E o irracional não tem raciocínio. Assim como descemos da classe de Racional para Animal Racional pensador sofredor e mortal; assim também agora, estamos indo a passos largos para mais uma descida de classe: de animal Racional para animal irracional. A categoria de princípio seminal é uma só: o sêmen, um nada do qual surge um tudo aparente: um Ser Humano (formado por três energias)  ou um outro corpo de animal (formado por duas energias).

 

E já neste epílogo do terceiro ciclo da vida, sempre surge esse nada para a formação de mais um tudo aparente que, recebe formação de Três Forças inter-agentes, três energias degeneradas do seu verdadeiro estado de ser, intervindo para sermos conseguidos e tendo dentro de nossa cabeça essas três psicomáquinas: a máquina psicológica do pensamento, a máquina psicológica da imaginação e a máquina psicológica do raciocínio. Mas se o raciocínio não for desenvolvido nesta Fase Racional da Natureza, a pessoa que ele representa desce de classe; pois quando morrer ligada nesta base do Ser irracional que, é este Galáctico Conjunto elétrico e magnético, dá-se a extinção do raciocínio no corpo de matéria da vida posterior e, então, a pessoa passa para o 40 Ciclo da Vida, em classe inferior, de bicho irracional; a classe de formação corpórea que emerge do nada.

O nada é a semente de gente com este nome elegante: sêmen. Um ínfimo de água no limite da visibilidade humana; que vê através de tudo o que as vistas alcançam ou do que pode ser trazido ao alcance de nossas vistas. Para tudo o mais que se estende para além da realidade observável, somos cegos de olhos abertos. Mas, tudo se transformando sempre, para que, por meio dessas mesmas transformações, se dê a volta de todos ao Mundo de nosso verdadeiro estado de ser natural. E isto, só depende de que aproveitemos a Fase atual para desenvolvermos o raciocínio através do Conhecimento de Cultura Racional; e, ouvir fazer-se ressonante a Voz de DEUS dentro de nós. Daí estará desfeito o estado de coma consciencial que, se cristalizou mediante todas as transformações de classe que passamos desde quando, saímos do Mundo Racional e entramos na parte subdesenvolvida da Planície Racional levando adiante o propósito de progredirmos por nossa conta e risco próprio. Estávamos todos nós, até aqui, lutando por coisas e causas perdidas e, por vezes, levando adiante vontades e gostos que extrapolam o limite do bom senso, caracterizando o contra senso.

O raciocínio é que grava tudo de cada vida provisória e passageira que a pessoa, sucessivas vezes, fez neste Mundo. O raciocínio é a razão da vida eterna. No raciocínio estão todas as soluções do animal Racional. O dia do Juízo é este, o dia de nós desenvolvermos o Juízo Final de nós mesmos em nós mesmos: o raciocínio.

 

No raciocínio é onde tudo da vida da pessoa está registrado, nada está perdido; porque, essa Energia Racional em estado deformado, ela contém inerente a si, todas as informações desde que a pessoa de sua estrita correspondência saiu de seu Mundo de Origem até este atual momento e todos os momentos dos dias vindouros. Tudo que você quer saber sobre você, o raciocínio depois de desenvolvido, ele te informa. E para desenvolvê-lo? Lendo os Livros de Cultura Racional.

 

Por não ter se deformado de todo, veio acompanhando a evolução das transformações, a cada provisória passagem por esta vida, com a missão de dar causa a um diferente aparelho humano, de renovada geração – já que se trata do mesmo Ser representante Racional da pessoa – na vida da matéria, O raciocínio representa a pessoa da qual, a identidade Racional é o corpo de Energia Racional que, veio acompanhando a deformação e as transformações com a missão de dar causa ao animal Racional.

 

Era a classe de Racionais em extinção – aquilo foi o nosso 2º Ciclo da vida, antes do nada – se transformando para a classe de Racionais tomando forma de animal dessa origem de Racional. De forma que, antes de termos sido, cada qual de nós, Racional em extinção, fomos: Racional em nosso verdadeiro Mundo de origem – O Mundo Racional.

 

Acontece que, essa Energia pessoal Racional, ela não pertence ao eletromagnetismo, ela é superior a este campo vibratório do Ser irracional; então, ela fornece as informações das quais é portadora em seu âmago, a viventes da mesma frequência vibratória; ou seja, para viventes ligados ou se ligando à Energia Racional. De forma que, o corpo do Habitante do Mundo Racional, por ter perdido todas as virtudes; foi que se extinguiu em cima do início da terra e da água; juntando-se ali três energias degeneradas da forma do seu verdadeiro Ser. Formou ali, então o ediogroma desta nossa formação. O ediogroma é o nome dado – na Cultura Racional – à fôrma da qual fomos formados para que tivesse início a existência humana. Que naquele primitivo início, os nossos ancestrais, nasciam todos do chão. Ainda não eram os tempos de haver essas três divisões funcionais da energia elétrica e magnética hoje existentes: 1) a semente que é o sêmen da categoria de princípio seminal que é o bicho Racional; 2) os Aparelhos humanos já reproduzidos como Aparelhos de Reprodução de filhos-irmãos e 3) a Energia natural da Natureza elétrica e magnética, em corpo invisível; que comanda todos os Seres de sua confecção, como suas ferramentas, através do pensamento e da imaginação. Essa mesma energia elétrica e magnética, ela dá formação invisível a Seres denominados espíritos que recebem variadas denominações.

 

Há muito em que se aprofundar nestes assuntos, e só mesmo a leitura, releitura e estudo dos Livros de Cultura Racional é que pode esclarecer-nos de tudo o que, de mais fundamental precisamos saber até alcançarmos a nossa meta final que é a volta de todos para o Mundo de onde somos, o Mundo Racional.

Daí esta insistente recomendação tem sido feita para que todos busquem se conhecer nos Livros de Cultura Racional – nos volumes do Livro: Universo em Desencanto. Muita gente já pode constatar essa realidade positiva; talvez você ainda não tenha procurado passar a se conhecer Racionalmente. Neste caso, a hora é esta.

Tenhamos todos: saúde, paz e concórdia fraternal, pelo desenvolvimento do raciocínio.

Imagem

A VIOLÊNCIA TEM UMA CAUSA BÁSICA E PODE SER NEUTRALIZADA

Salve minha gente! Sejam sempre benvindos a este espaço de divulgação da Cultura Racional que, nos Livros: “Universo em Desencanto” ela nos revela com precisão, com base e com lógica: a verdadeira origem da humanidade. E nos revela também, algo que – por incrível que possa parecer – nós, Seres Humanos, nunca soubemos.

Então, foi preciso que a Natureza ingressasse numa nova Fase evolutiva e compusesse os parâmetros de uma civilização para um Terceiro Ciclo Organizacional da Vida, em todo o seu esplendor natural; já parametrizada em forma de um Conhecimento só, definido e definitivo e advindo de fora, transcendentalmente, para dar ao saber humano, a completude de que precisa para se perfazer e se dizer perfeito, este saber.

 

A violência que campeia hoje pelo mundo todo, é aviltante, é assustadora e contradiz flagrantemente a todos os postulados e anseios de uma civilização plena de conhecimentos construtivos, em prol da existência. Dá o testemunho de uma triste realidade: não somos suficientemente equilibrados para uma vida de paz, amor, concórdia e fraternidade universal.

E isto prova que, todo o acervo de saber deste Mundo, todo o saber humano, ainda carece de um urgente complemento fundamental para que se evidencie o poder da vida, para um viver alegre, feliz e contente em todos os rincões deste Mundo e, com uma meta final claramente estabelecida.

Que meta final? A volta de todos para o nosso verdadeiro Mundo de Origem, já descoberto e revelado pela Obra de Cultura Racional para quem quiser chegar a ver triunfar a Racionalização dos Povos.

O que é a Racionalização dos povos? É todos conhecermos o Mundo de nossa Raça – o Mundo Racional – e sabermos como voltar para ele.

E esse estudo complementar no âmbito antropológico, hoje, sabemos sem dúvida alguma, ele é cultural. A Cultura Racional é uma obra de Cosmogonia que nos revela a origem e a evolução do Universo; mas, que não deixa nenhum vazio a ser preenchido nas questões do âmbito antropológico, sejam elas na esfera física ou mesmo sócio cultural.

Na ordem natural das coisas, há esses dois Planos pelos quais orbita a humanidade: – o Plano da Existência; – e há o Plano do Conhecimento.

Ambos esses Planos, são evidenciados sobremaneira nas abordagens dos livros da Cultura Racional e, não podemos nos fazer indiferentes aos seus conteúdos; a triste situação deste Mundo em que vivemos exige que estudemos a sério, os conteúdos dos Livros de Cultura Racional.

livro_universo_em_desencanto_-_02

A Cultura Racional aponta como uma das causas da violência endêmica que impera no Mundo hoje, a falta de uma Cultura Racional.

A única Cultura capaz de despertar e ativar essa Energia latente, inerte, de que somos portadores dentro de nossa cabeça na sede da alma que é na glândula pineal. E finalmente, desenvolvê-la Racionalmente e fazê-la funcionar – depois de desenvolvida – como uma nova base biológica de nossas funções psicológicas; mas, aí nessa altura, já provida do Conhecimento do Ser.

O Conhecimento do Ser está no raciocínio, por ser – o raciocínio – a nossa verdadeira originalidade de ser. E só uma Cultura especificamente voltada para o desenvolvimento do raciocínio é que pode permear os dias vindouros, o Terceiro Milênio, de concórdia universal. No raciocínio todos em concórdia; sem atritos nem conflitos.

No pensamento, é como estamos vendo, a discórdia. Fruto de uma cultura norteada para a Civilização do Segundo Milênio que manteve a humanidade ligada às duas Energias regentes desta Base do Ser irracional; à qual o Ser Humano não pertence.

Houve uma mudança de Fase Natural da Natureza, ocorrida a partir de 1935 no século passado; e, de lá pra cá e doravante, a Natureza não tem mais alimentado de energia elétrica e magnética o pensamento dos pensadores.

Então, por falta de alimento energético natural da Natureza o pensamento deixou de funcionar condizentemente em prol das aspirações e anseios para uma vida equilibrada ao bom viver; com equilíbrio físico, mental e macro social. Macro social sim, porquanto abrangendo ao Mundo daqueles Seres que nos são invisíveis, mas que permeiam de influência e de convívio a esta nossa existência de pobres ricaços, sovinas. Essa a causa deste nosso desequilíbrio mundial.

Por quê “pobres ricaços”? Por não utilizarmos o maior dos Tesouros ao nosso alcance nesta incomum ocasião natural da Natureza: a Cultura Racional entesourada no bojo dos Livros: “Universo em Desencanto”.

 

Um desequilibrado, pode ser recuperado com uma Cultura superior à sua. A nossa Cultura do Pensamento é de uma Fase natural da Natureza que, por ter terminado está em liquidação: física, moral e financeira.

A cultura do pensamento, enquanto esteve vigente, ela deu para equilibrar uns tantos; já outros tantos, não.

E, por isto, restou um enorme contingente humano, de homens, mulheres e crianças, em todas as camadas sociais; desde o mais graúdo ao menor dos miúdos, fazendo uso da violência crescente e incontrolável. O pensador desequilibrado se torna antissocial e quando seca o pensamento, o seu sentimento de humanidade se esvai de todo; passando a não sentir mais o que faz contra si e contra os seus semelhantes e contra tudo o mais. Fica perturbado e é perturbador.

Que fazer então? Lançar mão de uma Cultura (a Cultura Racional) que, à medida em que vai sendo estudada pela humanidade, vai dotando de crescente equilíbrio ao pensador desequilibrado; tendo em vista que o desenvolvimento do raciocínio corresponde ao desenvolvimento do maior potencial do corpo existente no istmo do mesencéfalo; e, nele, estão todos os recursos: completos, precisos e necessários para o verdadeiro equilíbrio do Ser – animal da Raça de Racional – que, é de sua origem e que, por ser animal, era um mal em si mesmo.

Era?

Sim, deixa de ser depois que o Aparelho Humano animal que, até aqui esteve animalizado pela artificialização dos povos como um civilizado do Segundo Milênio Cultural; depois que ele se tornar, de fato, um Aparelho Humano Racionalizado pela Cultura Racional deste Terceiro Milênio; então, daí em diante chega ao fim esta situação macabra de horror e pavor, retratada no cotidiano de violência que frustra os nossos anseios de concórdia, equilíbrio e paz.

Só o raciocínio tem condições de equilibrar o que é seu, é o que nos ensina a Cultura Racional; porque o raciocínio é o ponto básico e lógico da verdadeira vida que é Racional. Sendo o raciocínio o substituto do pensamento elétrico e magnético que terminou a sua Fase e não avisou a nenhum dos pensadores; deixando o Mundo todo nesta transição em polvorosa. A hora é esta, de a gente virar o resultado desse jogo duro a nosso favor. Hoje, sabemos que temos como vencer.

Procure conhecer a solução da vida definida e definitiva nos Livros de Cultura Racional que, são os Livros: “Universo em Desencanto”.

Cultura Racional em mãos de todos no Mundo Tenhamos todos: saúde, concórdia e paz, pelo desenvolvimento do raciocínio.